Conteúdo

Por Wilson Araújo, em CONTOS

A PROFECIA

16 de Agosto de 2017 às 18:17

A PROFECIA

Eu descia por dentro de uma montanha. Sim, era um caminho por dentro da montanha, em espiral descendente, contornando sua estrutura, seu corpanzil pedregoso, rígido, quase imutável. Eu descia calma e cadenciadamente, o teto era quebrado e entrecortado pelos raios de sol que desciam pelas frestas, malhando o chão rochoso com a luminosidade amarela e quente.Eu descia sozinho, lembro bem, sem sentimentos eufóricos nem pressa, nem coisa o valha. Eu, descia.E desci.Ao fim, no sopé da montanha,

Leia mais

Por Diego de Montalvão, em CONTOS

Cronicamente Viável: O Arrebatamento

27 de Abril de 2016 às 01:49

Cronicamente Viável: O Arrebatamento

Eu me sentia melhor quando vivia à espera de algo. Toc, Toc, Toc - Passa das sete, Júlio! – Despertou-me o vizinho. Cansa-me seguir a rotina. Numa cidade pequena, de pessoas pequenas, é natural se acostumar com uma vida pequena - martelo em minha cabeça. Penso ser vantajoso fugir do que é comum. Talvez justifique acordar ainda ébrio, resultado da fuga do dia anterior. Visto meu terno. Hoje dispenso a gravata, pra mudar um pouco. Penso na metafísica e na imutabilidade das coisas. Cadê minha

Leia mais

Por Wilson Araújo, em CONTOS

EXTRACAMPO: NOVEL(O)(A)S

20 de Abril de 2016 às 20:10

EXTRACAMPO: NOVEL(O)(A)S

Talisson tinha vida de rei. Motos caríssimas, lanchas, carros de sonhos. Desfilava nas ruas mais pra mostrar os dotes e tirar uma onda que propriamente ir pra algum lugar, não precisava ir a lugar algum, tinha tudo à mão, mas gostava de ver a cara do povo trabalhador olhando pra ele com inveja. Numa terça feira de manhã, divertia-se.Parou no sinal, ficou vendo os Unos e Celtas, sorriso no canto da boca. Engarrafamento. Buzinaram atrás, de novo e novo.--- Sai do meio da rua, féla da puta.O

Leia mais

Por Wilson Araújo, em CONTOS

 CRONICAMENTE INVIÁVEL: O UM ANEL

09 de Março de 2016 às 22:24

CRONICAMENTE INVIÁVEL: O UM ANEL

Xico Wilson (sim, com “X”, senão ele se zanga) é um senhor aposentado, pra lá dos sessenta, com cabelos e disposição de quarenta, seis filhos (três casados, quatro formados)...

Leia mais

Por Leonel Veloso, em CONTOS

 O Bracarense, 2015

16 de Setembro de 2015 às 18:08

O Bracarense, 2015

Mais um sábado na vida de Manuel. Que acordava às 06 e trinta, tomava banho e café, e lia O Globo do dia e pensava na vida, isso tudo quem o bem conhece...

Leia mais